Triares

Sites e Softwares

Certificação MPS.BR

A empresa iniciou o processo de busca pela certificação MPS.Br em fevereiro de 2008 e obteve a certificação para o nível G de qualificação, que garante melhores resultados em qualidade, custos e prazos para os projetos. O MPS.Br (Melhoria de Processo do Software Brasileiro) promove o avanço da qualidade e produtividade de soluções e serviços de software e está de acordo com padrões internacionais de qualidade de processo de software.

Certificação MPS-BRMelhoria dos processos de software. “A Triares utilizou a criatividade para definir um processo que atendesse as suas necessidades e que refletisse a dinâmica necessária para se manter competitiva.  A adoção de instrumentos desenvolvidos internamente para apoiar as estimativas, a comunicação e a gerência dos projetos, também foram fatores que corroboraram com o desejo da organização de utilizar processos sob medida para melhorar a qualidade dos produtos e que, ao mesmo tempo, sejam compatíveis com o ritmo de crescimento da Triares”, declarou a patrocinadora da avaliação Iete Cardoso dos Santos – Gerente Administrativa da empresa.

O MPS.Br vem ganhando importante espaço no mercado nacional. Em licitações, por exemplo, está sendo utilizado como critério de pontuação técnica, em igualdade de condições com o CMMI. Empresas privadas também já têm considerado a certificação em processos de aquisição de software.

O Programa  tem 2 metas. A primeira meta é técnica, visando a criação e aprimoramento do Modelo MPS – composto de um Modelo de Referência (MR-MPS) e um Método de Avaliação (MA-MPS). O Modelo segue modelos e normas internacionais: está em conformidade com as Normas Internacionais ISO/IEC 12207 e ISO/IEC 15504, é compatível com o modelo CMMI, é baseado nas melhores práticas da engenharia de software e é adequado à realidade das empresas brasileiras. A segunda meta é de disseminação do Modelo MPS no mercado, com a implementação do MRMPS e avaliação MA-MPS tanto em pequenas e médias empresas (PMEs) como em grandes empresas públicas e privadas.

SEBRAE-SP lança projeto de fortalecimento de empresas de TIC na Baixada Santista

De acordo com o Observatório das Micro e Pequenas do Sebrae-SP, baseado em informações do IBGE (2006), em toda a Baixada Santista existem 1.842 as empresas de TIC, das quais 932 prestam serviços (produção de software ou manutenção) e 910 vendem material de escritório e produtos de informática. De acordo com os índices, o número de empresas ligadas à informática cresceu 87,7% entre 2003 e 2006 na Baixada Santista, enquanto as que vendem produtos de informática cresceram 64,5%.

A prefeitura de Santos detectou esse crescimento e em 2007 definiu o setor como um dos vetores de desenvolvimento municipal, criou a Fundação de Tecnologia e também atua na consolidação de Santos como Parque Tecnológico. A ACS criou uma câmara temática de TI e uma série de universidades e entidades da cidade e de toda a região estão se articulando para fortalecer o setor.

O gerente regional do Sebrae-SP na Baixada Santista, Paulo Sergio Brito Franzosi, destaca esse momento como propício para o lançamento do projeto: “É nesse cenário que o Escritório Regional do Sebrae-SP está lançando esse programa para empresas de toda a Baixada Santista. Percebemos as empresas de TIC como um dos setores prioritários a ser atendidos dentro do eixo de inovação no plano de gestão na região para o período de 2010 até 2012”.

O gerente regional lembra que o programa amplia as ações de apoio do Sebrae-SP ao setor iniciadas em fevereiro de 2008 com a realização de um diagnóstico que mensurou as capacidades técnicas, gerenciais e mercadológicas de 33 empresas da região. Em seguida, por meio do SebraeTec, três empresas de Santos (AGE Technology, Triares Informática e Tecnologia e Meta Sistemas) receberam consultoria em controle de processos, requisito indispensável para a obtenção de avaliações.

Para sua maior comodidade, você pode voltar para o topo da página ou continuar navegando pelo mapa do site abaixo.